sábado, 21 de maio de 2011

Avaliação do Bestiário de Arton

Poucos dias atrás chegou ao meu feliz lar um exemplar do Bestiário de Arton, por Brauner e Francisconi. Eu não li o livro todo, mas já li uma boa parte ... e adorei o livro! Valeu a pena comprar na pré-venda!

O Bestiário de Arton e seus antecessores.
Uma coisa que eu estranhei foi a capa, não sei se foi intencional, ou se é apenas parte da variação inerente ao processo de impressão, mas a capa do meu bestiário está nitidamente mais clara do que a do Tormentão ou do Guerras Táuricas. Mas isso é só um detalhe, a ilustração é o dragão azul que todos viram, e está bem legal.




Curiosa variação de cores. Bestiário e Tormentão

Sobre as ilustrações

Um ponto que sempre gera muita discussão nos lançamentos de Tormenta são as ilustrações. Eu achei que as ilustrações antigas foram muito bem escolhidas (os trogs do Cassaro, os Gnolls antigos de Erica Awano) e há muitas ilustrações novas, muito boas por sinal.

Só senti que alguns monstros poderiam estar um pouco mais assustadores (como o Urso-coruja). E o único desenho que eu não gostei foi o do Tarrasque... ficou parecendo monstro do Godzilla, só faltou o zíper nas costas.

Eu ia reclamar que o livro não tem tantas ilustrações quanto eu gostaria, mas isso reduziria a quantidade de monstros no livro, o que é mais importante. Mas não custava colocar um koboldzinho da Érica Awano, eles são tão bonitinhos. Dava pra tirar o desenho da múmia por exemplo...

Sobre o texto

Aqui não tem do que reclamar. Nos parágrafos iniciais, Gustavo Brauner nos explica que mais do que ser uma lista de fichas, o objetivo do livro é apresentar as criaturas de Arton, te dando um pouco de cenário junto com os monstros. E é isso que o livro faz. Pessoalmente, eu acho que é isso que um bom bestiário tem que fazer, não apenas ser uma coleção de fichas, mas trazer idéias e conceitos novos para mestres e jogadores.

O texto das criaturas segue o padrão direto, mas não demais, do Tormentão. Cada criatura merece seus dois ou três parágrafos de fama para que o mestre saiba algo mais do que "Sátiros são fadas que combinam características de bode e humano". Isso torna o livro informativo e divertido, como tem que ser.

Além disso, entre o nome do monstro e seu texto descritivo há sempre uma pequena frase ou citaçõa, como acontecia no antigo Guia dos Monstros de Arton (Daemon Editora) e no Bestiário Holy Avenger (Brinde da DB86). A maioria é uma piadinha ou uma citação de algum personagem famoso do cenário, tornando ainda mais agradável a leitura.

Sobre as fichas

Fiquei incomodado com duas miudezas no formado das fichas. Como já acontecia no Tormentão, a CA é apresentada apenas como um número, sem explicar quais bônus compõe aquele valor. Como um mestre que gosta de inventar e modificar monstros, eu sempre achei muito útil saber a armadura natural das criaturas, tanto como uma referência na criação de novos monstros, quanto como uma facilidade na hora de modificar o monstro. Mas não foi dessa vez.

Outra coisa é que os talentos também foram omitidos, talentos que apenas conferem bônus não são mostrados na ficha, os bônus estão incluídos na ficha e aparentemente está tudo bem. Novamente, saber os talentos de cada monstro ajuda o mestre a customizar seus monstros... Mas fazer o que né?

Mais algumas coisas que eu gostei

Os dragões tem fichas de verdade, prontas para o uso! No Livro dos Monstros 3.5 a entrada dos dragões trazia um monte de tabelas malucas, através das quais você poderia montar sua ficha, no Bestiário de Arton uma ficha é uma ficha! E temos dragões marinhos!

Todos os gigantes são de tamanho grande. Sempre me incomodou a idéia de cidades ou vilarejos habitados por humanóides enormes ou imensos... grande já está bom. Acho bom deixar as categorias maiores para monstros mais especiais que um gigante.

Poucos demônios, diabos e fadas. A maioria dessas criaturas d D&D 3e eu nunca usei, é bom ter um punhado delas, mas não mais do que isso. Melhor deixar espaço para outras coisas.

Tem gênios, elementais e dragões para todos os seis elementos, mostrando como a cosmologia de Arton difere do D&D Padrão.

Como já tinha sido anunciado, o livro traz seis novas raças para jogadores. Você pode ser um gnoll, por exemplo!

Sobre a seleção de monstros

Com 144 páginas, o livro tem menos monstros que nosso antigo amigo Monster Manual 3.5. Achei estranha a inclusão do Otyugh, mas de modo geral foram os monstros pouco usados que ficaram de fora. Só achei estranho os homens-lagarto e sahuagins ficarem de fora, já que eles são mencionados no texto descritivo de outros monstros (Troglodita e Elfo-do-mar respectivamente). Eu entendo que são monstros pouco usados (embora eu goste de homens-lagarto), mas pô, eles foram citados!

Avaliação Final

Já deixei na cara que eu gostei, eu sou fã de Tormenta mesmo, sou fã dos caras e gostei do livro. Eu preferia um tijolão de 300 páginas, com mais monstros, mas seria mais caro e provavelmente demoraria mais pra sair... então acho que estamos melhor com as 144 páginas mesmo. De qualquer forma, é um ótimo investimento, e obrigatório para todos os mestres de TRPG!

4 comentários:

  1. Eu já usei essa lista no fórum da Jambo, mas vamos lá de novo. Eu tenho a maioria dos livros de Tormenta (um dos poucos que eu não tenho e já fiquei de olho grande é esse Bestiário do Holy Avenger) e senti falta de muitas criaturas no Bestiário. Não que eu não consiga adaptá-las para a mesa de jogo, mas isso é porque eu acompanho Tormenta desde quase o inicio e tenho as fichas para outros sistemas. E quem não tem? Aqui está a lista das criaturas que fizeram falta e os motivos pelos quais eu acho que elas fizeram falta:
    Criaturas insetoides: eu não sei se vocês repararam, mas Arton é recheado de criaturas insetoides. Mesmo os demônios da Tormenta são descritos dessa forma. E no bestiário só aparece o Canceronte de criatura insetoide criada para Arton. Aqui está a pequena lista: Besouro de Fogo, Besouro de Óleo, Abelha Gigante, Asa-Assassina, Corcel do Deserto, Enfermeiras, Formigas-Hiena, Gafanhoto-Tigre, Aranha de Keen, Abelhas-Grifo, Beijo de Tenebra, Esmagador, Eskaravelho.
    Criaturas Clássicas: tem criaturas que são clássicas de rpgs de fantasia medieval, como: Banshee, Cocatriz, Esfinge, Fantasma, Fenix, Górgon, Licantropos, Observadores, Quimera.
    Criaturas Clássicas de Tormenta: existem criaturas que estão desde os primeiros livros, e que de algum modo, fazem uma importante parte no cenário, como: Golens-Arvore, Asa-negra, Asfixor, Canários do Sono, Cavalo-Glacial, Demônios do Espelho, Diabo de Keen, Feras-Cactus, Fofo, Mago-Fantasma, Nereida-Abissal, Pantera-do-Vidro, Peixe-Recife, Povo-Sapo, Random, Soldados-Mortos, Toscos, Moóck, Tatu-Montanha, Feras-Coral, Lursh Lyins, Tumarkhan, Vermes das Cavernas.
    Tem aquelas criaturas que eu simplesmente acho geniais, mesmo que alguém não ache, a lista é minha... Grama Carnívora, Horror dos Túmulos, Lesma Carnívora, Pássaros do Caos, Predador dos Sonhos, Protetor da Ordem, Zangões do Pesadelo, Dragão de Magia, Fera Vegetal.
    Tem as criaturas relacionadas a áreas especificas, como Galrasia ou a própria Tormenta (mas esses eu entendo o motivo da ausência...)
    E por último e talvez o mais importante: os Dragões! Com a volta de Kallyadranoch,e a libertação de Tamu-ra, como ficam os Dragões de Tamu-ra? E os Dracoliches? Eles tem importância no cenário graças ao Tarso... E o Dragão do Deserto, que até agora só apareceu o pescoço? E o mais bizarro de todos: os dragões bicéfalos? Será que eles voltarão a fazer parte de algum material oficial?
    Acho que é só isso tudo. Todos esses monstros estão espalhados, a maioria aparecendo mais de uma vez, no livros: Dragão Especial Tormenta, da Trama Editora, Guia de Monstros de Arton, da Daemon Editora, Tormenta 3D&T, da Talismã Editora, Manual dos Monstros 3D&T, Talismã, Holy Avenger 3D&T, Talismã e Galrasia Mundo Perdido, Jambô editora.

    ResponderExcluir
  2. Uma lista realmente impressionante Gregório.

    Os monstros de áreas específicas acho que já era esperado que não estariam no bestiário, já que eles figuram nos livros destas áreas (como Galrásia) ou podem figurar em livros futuros (como Império de Jade).

    Mas alguns monstros clássicos fizeram mesmo falta, como os fantasmas.

    E acho que o livro está bem recheado de dragões, e como há o modelo Lich, dracoliches não estão fora de cogitação (e acho que o Nume publicou a ficha do Tarso no .20).

    E os dragões bicéfalos... tinha até me esquecido deles. Comecei até a ter umas idéias aqui...

    De qualquer forma, essa sua lista é uma ótima fonte de idéias pra mim e demais amigos com blogs de tormenta.

    ResponderExcluir
  3. Como faço para mandar material de tormenta para o blog?

    ResponderExcluir
  4. Oi Kal, para mandar material use o e-mail de contato montanhadosmonstros@gmail.com. Seu material será avaliado e possivelmente editado antes da publicação.

    ResponderExcluir