quinta-feira, 24 de março de 2016

Azóz, o bugbear assimétrico

O manual das raças de Tormenta é um livro fascinante, não apenas por nos apresentar mais de 30 raças (incluindo sub-raças variantes) ele apresenta uma coleção impressionante de talentos raciais criativos e inesperados. Esse conjunto abre uma enorme gama de possibilidades, permitindo que mestres e jogadores criem personagens que se desviam dos moldes clássicos, mas ainda se encaixam na salada de fantasia de Arton. Inspirado por todas essas opções, eu acabei criando alguns NPCs interessantes para aventuras em Tormenta, alguns mais criativos do que outros. Hoje conheça Azóz, o bugbear assimétrico.

Azog, um dos principais vilões dos filmes do Hobbit. Qualquer coicidência entre Azóz e Azog é mera semelhança...

sexta-feira, 18 de março de 2016

Ganchos de aventuras envolvendo a resistência élfica em Lamnor

Em uma postagem passada, apresentei uma visão alternativa para a princesa Tanya, em que ela é a líder de uma resistência élfica contra a Aliança Negra ao invés de refém dos goblinóides. Hoje vamos falar um pouco sobre a organização dessa resistência e sobre ideias de aventuras em Lamnor.

Goblin, hobgoblin, bugbear, ?????.
(A imagem pertence à editora Wizards of the Coast)


sexta-feira, 11 de março de 2016

Coelhinhos assassinos!

Coelhos, criaturas aparentemente inofensivas que conquistam qualquer um com sua fofura extrema. O que muitos se esquecem, é que tal qual um roedor, coelhos possuem incisivos poderosos capazes de destruir madeira e descarnar os incautos (embora coelhos não sejam roedores!). Pior, coelhos são mestres da fuga e da furtividade, sempre fugindo de predadores muito maiores e mais poderosos em seu ambiente natural. É por tudo isso, que você jamais deve subestimar um coelho, e especialmente você não deve subestimar estes coelhos!

Dois coelhos capangas imobilizam sua vítima.

quinta-feira, 3 de março de 2016

Pensamentos sobre o (des)equilíbrio de forças no Panteão de Arton

Recentemente, eu estava fazendo uma lista dos deuses de Arton e separando por Tendência como parte da pesquisa para uma postagem. Essa informação consta no antigo Panteão d20, mas ele não estava disponível pra mim no momento. Ao realizar esse exercício, notei alguns padrões inesperados, e depois descobri que o blog Área de Tormenta já havia detectado e comentado sobre isso. Seguindo o espírito de papo de boteco do post do Área de Tormenta, resolvi escrever uma resposta com meus próprios pensamentos sobre o assunto.

Ilustração clássica do panteão de Arton por Érika Awano.