segunda-feira, 26 de julho de 2010

Hidra trielemental, a hidra do King of Dragons

Um dos meus estilos favoritos de jogos de videogame é o bom e velho Beat´em up. Esta categoria inclui jogos como o clássico Final Fight, e tem um sistema de jogo muito simples, você tem que andar para a direita e bater em todos os inimigos que aparecerem!

Diversão garantida!

Nos últimos anos eu tenho conhecido vários jogos desse estilo graças ao uso de emuladores de Arcade e de algumas compilações de jogos que tem saído pro PS2. E foi através de uma delas, a "Capcom Classics Collection vol. 2", que eu conheci um jogo fascinante, o King of Dragons.

O jogo tem um clima muito D&D, você pode jogar com um guerreiro, um clérigo, um mago, um anão ou um elfo arqueiro (meu favorito) e enfrenta inimigos como orcs, esqueletos e uma hidra.

Mas a hidra do King of Dragons é única. Neste jogo ela é uma enorme serpente com três cabeças, onde cada uma tem um sopro de um elemento diferente, fogo, frio ou ácido. Por isso eu batizei de hidra trielemental. Ela é um monstro interessante pois possui vários tipos de dano diferente, o que dificulta defesas mágicas e tem o potencial de assustar todo mundo. Além disso, cada cabeça é resistente ao próprio tipo de dano, então ela vai dar uma dor de cabeça pros jogadores derrotarem.

Sem maiores enrolações... vamos à criatura!

Descrição física
 A hidra trielemental é uma gigantesca serpente de escamas vermelhas e possuindo três cabeças. A cabeça central é vermelha, como o corpo, enquanto as laterais são uma azul e a outra verde.

Comportamento e ecologia
A hidra se comporta basicamente como uma serpente, mas muito grande! Sua toca geralmente é uma caverna ou construção grande e abandonada, e ela geralmente caça usando uma tática de senta e espera, ela espalha suas cabeças pela maior área possível e permanece imóvel. Se algum animal dá bobeira, ela devora. Quando a hidra está com muita fome ela pode simplesmente usar seu sopro na floresta e se alimentar do que cair.

As hidras trielementais habitam os mais variados ambientes, mas tem preferência por florestas úmidas. Elas gostam de morar em túneis ou tocas, embora tenham pouca habilidade de escavação. Ninguém sabe ao certo quanto tempo vive um animal desses, mas acredita-se que elas levem cerca de 30 anos para atingir a maturidade. Elas reproduzem-se apenas uma vez ao ano, ou menos, são ovovivíparas e geram 2d6 filhotes por gestação.

Usando a hidra trielemental em sua aventura
Este monstro é perfeito como criatura errante, os aventureiros podem encontrá-la habitando masmorras ou ruínas antigas, ou dar o azar de topar com ela enquanto caçam.
Vilões abastados podem manter uma criatura dessas como bichinho de estimação, ou animal de guarda.
Como animais predadores, mas gigantescos, hidras muitas vezes causam problemas a vilarejos ou atacam locais de caça utilizados por nobres. Nesses casos um grupo de aventureiros pode ser contratado para dar cabo da criatura.

Hidra trielemental (3 cabeças)
Monstro 6, Enorme, ND 5, Neutra
Desl 6m, 60 PVs
CA 18 (+3 Nível, +1 Des, -2 Tamanho, +6 natural)
Ataques
   3 mordidas +10 2d6+8
   Cauda +9 1d8+8
Fort +10 Reflx +6 Von +5
For 20, Des 13, Con 20, Int 1, Sab 10, Car 11
Talentos bônus: Fortitude maior, Reflexos rápidos
Talentos: Vontade de ferro, Foco em arma: mordida, Reflexos em combate
Perícias: Percepção +9.

Cura acelerada 10: o corpo da Hidra regenera 10 PVs por rodada.

Sopro: cada cabeça possui um sopro elemental diferente, uma vez que a cabeça use o sopro ela precisa de duas rodadas de descanso, então, a cada rodada, a Hidra geralmente usa um sopro e realiza duas mordidas. As armas de sopro são:
Cabeça vermelha: cone de 9m de fogo
Cabeça Azul: linha de 18 m de frio
Cabeça verde: linha de 18m de ácido
Todos os sopros causam 6d6+3 de dano, reflexos CD 18, reduz o dano à metade. A CD é baseada em constituição.

Imunidade a elementos: cada cabeça da hidra é imune ao respectivo elemento. A cabeça vermelha é imune a fogo, a azul ao gelo, a verde ao ácido. O corpo também é imune ao fogo.

Múltiplas cabeças: A hidra pode atacar com todas as suas cabeças sem redutor. A cabeça vermelha controla o corpo, para atacar com a cauda a criatura deixa de atacar com esta cabeça, se esta for removida uma das outras cabeças assume o controle do corpo (a escolha do mestre). Cada cabeça realiza testes de percepção separadamente, mas uma vez que perceba uma ameaça ou presa uma cabeça consegue avisar as demais.

Cauda: caso ataque com a cauda e todas as cabeças na mesma rodada a hidra recebe um modificador de -4 nas jogadas de ataque com a cauda de com UMA das cabeças (geralmente a vermelha), caso deixe de atacar com pelo menos uma das cabeças a hidra não tem penalidade para usar a cauda.

Removendo as cabeças: cada cabeça (na verdade a cabeça e o respectivo pescoço) possui 20 PVs, quando a cabeça perde todos os seus PVs ela é arrancada e o corpo perde 10 PVs. Os PVs perdidos pela remoção da cabeça não regeneram até que o número total de cabeças seja restabelecido.
Segundo a SRD, atacar a cabeça (ou pescoço) exige uma manobra separar. Mas, considerando o modo como o separar funciona no TRPG (jogada de ataque contra jogada de ataque) eu acho que a idéia perde um pouco do sentido. Minha sugestão é: atacar uma das cabeças exige um ataque regular, mas a cabeça recebe um bônus de +2 na CA por estar sempre se mexendo (é como se as cabeças tivessem Des 16, enquanto o corpo tem Des 13).

Regeneração de cabeças: quando uma cabeça da hidra é removida duas novas nascem no lugar após 2 rodadas, as novas cabeças terão a cor e sopro da que foi decepada. Para impedir que novas cabeças nasçam o ferimento deve ser cauterizado com 5 pontos de dano por fogo, frio, ácido ou eletricidade. Um ferimento não pode ser cauterizado pelo elemento ao qual a cabeça é imune, por exemplo, se a cabeça azul for decepada os jogadores tem 2 rodadas para causar 5 pontos de dano por fogo, ácido ou eletricidade, ou duas novas cabeças azuis nascerão. O aumento no número de cabeças não aumenta o total de PVs do corpo.

Como eu mato essa coisa?
A Hidra morre se todas as suas cabeças forem decepadas e os ferimentos cauterizados, ou caso o seu corpo morra ao atingir -30 PVs. (-10 se você estiver jogando D&D padrão)

Hidra, um desafio do cacete
Como deu pra perceber, matar uma hidra não é fácil. Exige que o grupo possa causar diferentes tipos de dano, além de algum planejamento, pra ir matando as cabeças e cauterizando os ferimentos. Eu calculei o ND como 5, baseando-me nas hidras do Livro dos Monstros (D&D 3.5), mas a hidra é mais desafiadora que a maioria dos monstros como mesmo ND. Caso os jogadores estejam apanhando muito (e nenhum jogador pense nisso) deixe que alguém role um teste de conhecimento para saber como derrotar a criatura. O conhecimento mais adequado é natureza, mas na hora do aperto arcano ou "lendas" ou qualquer coisa parecida podem servir.

Se o grupo for totalmente derrotado, mas você não quiser matar todo mundo e começar uma nova aventura, eu tenho uma idéia que pode salvar a galera:
Considere que a hidra não está com muita fome, então ela devora no máximo um dos heróis e leva os demais pra comer depois. Os que conseguirem se estabilizar (afinal todos caíram com 0 PVs ou menos) acordam no dia seguinte em estado deplorável, mas vivos. Eles estão no fundo do covil da criatura, mas ela está dormindo e eles ainda tem tudo o que estava preso neles, armas desembainhadas ficaram no campo de batalha.
Aí então eles tem uma chance de fugir ou tentar acabar com o bicho enquanto ele dorme.

Notas de criação
Essa ficha deu trabalho, nunca fiz uma criatura com tanto texto explicativo! A hidra já é naturalmente complicada, mas com três elementos no mesmo monstro, e tentando deixar ela mais fácil de usar no TRPG a coisa ficou complicada. Espero que faça sucesso e seja útil.

Fiquei muito apreensivo com a arma de sopro desse bicho, na SRD, uma hidra tem um sopro de 3d6 multiplicado pelo numero de cabeças. Então essa hidra teria um sopro de 9d6! Como eu sempre achei o dano das hidras exagerado diminuí um pouco o dano, pra 6d6.

Depois dessa trabalheira o próximo post deve demorar um pouco, mas fiquem tranquilos que eu já tenho algumas coisas cozinhando.

2 comentários:

  1. Bom, depois de ler a ficha dessa Hidra. Fico contente por ser mestre, e meu personagem no jogo "saber" que não irá enfrentá-la...ainda. MUAHAHA

    ResponderExcluir
  2. É, depois que eu juntei a idéia dos três elementos com as regras da hidra até eu me assustei!

    ResponderExcluir