segunda-feira, 18 de outubro de 2010

A Liga Independente: A Ordem Secreta das Clérigas de Lena (e alguns talentos pra ninguém perceber que você está usando magia)

É curioso como a ironia parece permear os mais diversos aspectos de nossas vidas. Na maioria dos reinos a população vê paladinos e clérigos benevolentes com tanta admiração e carinho, e prestam a estes sacerdotes tantos favores e gentilezas, que as igrejas tem que constantemente perseguir falsos clérigos e charlatães aproveitadores.

Imagem roubada do site RPGamer.

Mas existe um lugar onde ocorre algo diferente, onde o clérigo pode ter de se fingir de não-clérigo para não ser ridicularizado... este lugar é Sallistick. Eu primeiro visitei este reino a pedido de Scarlett, uma velha amiga de Namalkah. Sua irmã, Juliett, casou-se com um nativo do "reino sem deuses" e foi então morar neste reino. Mas lá acabou contraindo uma doença misteriosa, que nenhum dos afamados doutores soube tratar. Scarlett clamou então que eu, como clériga de Lena, cuidasse de sua irmã, mas sem revelar minha natureza sacerdotal.

Juliett, mesmo não sendo nascida em Sallistick, tornara-se atéia por influência do marido e desprezava qualquer tipo de fé em forças superiores ou deuses.

Confesso que hesitei por um breve momento, mas não pude recusar. Não poderia negar a dádiva da vida a uma jovem só por conta de crenças bobas, me disfarcei como doutora e rumei para sua casa.

No começo foi muito difícil, minha magia não funcionava direito naquele lugar, mas com o tempo fui aprendendo a trabalhar. Mais do que isso, conforme a doente melhorava, eu precisava disfarçar também meus procedimentos. Enquanto a doente permanecia desacordada, eu podia conjurar minhas magias quando não havia ninguém por perto, mas conforme ela melhorava, eu precisava fingir que usava aqueles medonhos procedimentos dos "doutores".

Alfim salvei a jovem de sua doença, e hoje ela é uma mãe saudável, mas jura que foi a medicina, e não o poder de uma deusa, que a salvou.

Do diário de Stephanie DeDrift, clériga de Lena doutora de Sallistick

Histórico

O caso narrado por Stephanie não foi o primeiro e nem o último em que a medicina de Sallistick, mesmo com todo o seu potencial, falhou onde a magia poderia ter tido sucesso. Mas isso SE os cidadãos do reino dessem aos clérigos uma chance.

Após a cura de Juliett, a "Doutora" Stephanie se tornou cada vez mais solicitada, afinal curava os casos mais improváveis, salvando muitas vidas que os médicos diziam estar perdidas. Logo ela percebeu que precisaria de ajuda para salvar todas aquelas pessoas, a Ordem de Lena, precisava ser representada naquele reino. Nascia a Ordem Secreta de Lena.

Stephanie convocou outras clérigas e as ensinou a ocultar sua magia para que pudessem cuidar da saúde do povo de Sallistick. Com o tempo as clérigas foram aprendendo os métodos médicos, e combinando-os com suas magias. A maioria delas ainda tem certificados falsificados de “doutoras”, mas algumas conseguiram mesmo se formar em escolas de medicina...

Organização

A ordem não é lá muito organizada, é um grupo de umas poucas dezenas de clérigas que se fingem de médicas e agem de forma praticamente independente. Não há uma sede, centro de comando ou canal exclusivo de comunicação, elas trocam informações quando se encontram, e eventualmente fazem reuniões em templos de Lena próximos à fronteira. Mesmo dentro da Ordem de Lena, a ordem secreta procura não chamar muita atanção, de modo que o boato não se espalhe mesmo fora de Sallistick.

Ganchos de Aventuras

Um nobre ou aristocrata importante está muito doente, mas já recebe os cuidados de um médico muito experiente quando a clériga é convocada. Ela teme que o doutor experiente perceba sua natureza, e convoca aventureiros para de alguma forma manter o doutor fora do palácio por uns dias (mas sem seqüestrá-lo nem feri-lo! Lembre-se que o contratante é uma clériga de Lena!).

Uma suposta doutora foi capturada e presa por falso exercício da medicina! Já desconfiam que ela utiliza magia, mas ainda não descobriram nada sobre a ordem, aventureiros são convocados pela ordem de Lena (fora do reino) para entrar em Sallistick, invadir a prisão e resgatar a sacerdotisa. Talvez eles enviem uma clériga ou paladino com o grupo para impedir que eles vão contra os dogmas da deusa no processo.

Um grupo de aventureiros é contratado para proteger uma doutora enquanto ela se desloca para atender um paciente muito doente. Eles enfrentam alguns perigos e acabam descobrindo que ela é uma clériga. Eles continuarão ajudando-a ou vão entregá-la? E se houver um nativo de Sallistick no grupo, o que ele vai fazer? Para apimentar ainda mais as coisas, na cidade destino vários falsos médicos (da ordem ou não) podem ter sido presos nas últimas semanas, e uma recompensa estaria sendo oferecida para quem entregar charlatães.

Uma clériga da ordem secreta pode estar sendo perseguida por um grupo de médicos que desconfia de seus métodos. Eles finalmente obrigam a personagem a passar por provas teóricas e práticas para mostrar que é uma médica. Cabe aos heróis ajudá-la!
(Nesse caso a clériga nunca estudou medicina de verdade, só usa magia mesmo)
Aqui podem haver várias sub-quests:
  • Roubar ou de outra forma obter um tomo especial de medicina para que a clériga estude.
  • Esconder o clérigo do grupo dentro da sala de testes para que ele conjure as magias de cura enquanto a clériga finge fazer um procedimento médico.
  • Lançar um encantamento sobre os avaliadores antes de uma prova prática, para que eles acreditem na clériga.
  • Usar magias para que a suposta doutora possa colar numa prova teórica.
  • Roubar a prova teórica toda errada da clériga e substituir por uma toda certa, mas antes disso os heróis tem que arrumar um jeito de responder às perguntas corretamente!
  • Para manter sua licença de médica a clériga precisa provar que estudou com um doutor, ou em uma escola de medicina. Os heróis precisam arrumar uma forma de que um médico experiente ou reitor de escola de medicina testemunhe a favor da clériga.

Mas as clérigas precisam mesmo se esconder tanto?

É verdade que em Sallistick os clérigos não são odiados, apenas não são respeitados. E o fato de suas magias não funcionarem muito bem nesse reino não ajuda muito (ver Tormenta d20: Guia do Mestre, ou algum material mais antigo). A questão é que fingir-se de médico é crime, e muitas pessoas se recusariam a ser atendidas caso soubessem que receberão ajuda divina. Mais do que isso, os verdadeiros doutores de Sallistick iriam logo tratar de expulsar qualquer clérigo fingindo de médico que encontrassem. Não por ódio, mas por acreditar realmente que o melhor para o paciente é a medicina, não a crendice. O conflito aqui é entre dois grupos que tem o mesmo objetivo, mas métodos e ideologias totalmente diferentes.

Imagem do site drawingbusiness... Também não tem muito a ver com a postagem.

Regras!
Abaixo alguns talentos para que uma clériga de Lena possa se tornar uma “doutora” em Sallistick:

Medicina mágica [magia]
A personagem pode conjurar magias de cura de forma oculta, enquanto finge realizar procedimentos médicos.
Pré-requisitos: Cura 6 graduações, Magia Silenciosa, Magia sem Gestos, ser capaz de conjurar pelo menos uma magia de cura.
Benefício: a personagem pode conjurar magias com o descritor cura sem usar os componentes verbal e gestual, e sem gastar PMs adicionais. Mas para isso deve fingir estar realizando um procedimento médico, utilizando inclusive equipamento médico (ou algo que pareça equipamento médico). Além disso, a personagem pode conjurar magias de cura normalmente em Sallistick (sem que estas tenham efeito mínimo).
Especial: caso haja um verdadeiro doutor ou clérigo presente, pode ser necessário passar num teste de Enganação contra Cura ou Identificar Magia para manter a farsa.

Doutora quase verdadeira [perícia]
Após tanta convivência com médicos e depois de estudar a medicina de Sallistick para tentar parecer convincente, muitas clérigas acabam mesmo aprendendo o ofício.
Pré-requisitos: Cura 8 graduações, ser devota de Lena, ter estudado de alguma forma as técnicas médicas de Sallistick.
Benefícios: com uma ação padrão e um sucesso em um teste de Cura com CD 20, a personagem pode recuperar 1d4+1 pontos de vida de um paciente. Para cada 5 pontos que o teste ultrapassar a CD mais 1d4+1 PVs dão recuperados.

Não é magia, é tecnologia!  [magia]
OU
É só uma coisa que comprei de um goblin [magia]
A personagem pode conjurar magias fingindo estar usando uma bugiganga qualquer que seria um item de alta tecnologia.
Pré-requisitos: Magia silenciosa, magia sem gestos, possuir bugigangas que pareçam tecnologia.
Benefício: a personagem consegue conjurar magias sem os componentes gestuais e verbais usuais, e sem gastar mais PMs, mas para isso deve fingir estar usando uma bugiganda tecnológica (goblin) e usar frases como “vai logo!”, “funciona!” ou “máquina imprestável!”. Quaisquer componentes materiais ainda devem ser fornecidos.
A bugiganga geralmente não é consumida, e pode ser reutilizada, mas usar um mesmo item para conjurar magias muito diferentes pode levantar suspeitas (Leia: disputa de Enganação contra Intuição ou Percepção para não descobrirem a farsa). Usando este talento existe 50% de chance de que uma magia divina funcione normalmente em Sallistick e 50% de chance de que tenha efeitos mínimos.


Notas finais

Primeiro note que este último talento também pode ser muito útil para magos que precisem passar por Portsmouth!

Segundo, os ganchos de aventura saem um pouco do trabalho convencional de um aventureiro, e acho que podem ser usados para tirar o grupo da rotina e colocá-los pra pensar um pouco. O último principalmente é digno da sessão da tarde, mas acho que pode render uma aventura divertida.

14 comentários:

  1. Ôh que beleza rapaz! Vou usar esses talentos na ficha do Gideon(Tanto na de npc para a Guilda, quanto a do meu personagem que ainda se esforça pra sair do 5º nível =p)

    Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Fala Gruingas.

    Excelente cara. Dá um gancho de aventura muito legal e fora do convencional.

    Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do conceito, mas torci o nariz para o talento que normaliza os efeitos das magias divinas em Salistick.

    Não se trata de algo simples que pode ser superado com treino, penso eu, os próprios deuses abandonaram o território e a magia divina é enfraquecida por isso, então achei essa parte dos talentos apelona.

    Mas de resto tá show, o conceito é muito bom e os talentos para disfarçar as magias também.

    ResponderExcluir
  4. No reinado 3D&T parte 3 pag 80 "... Tradicionalmente o povo de Salistick ve os assuntos referentes aos deuses como crendices e supertições arcaicas, clerigos são vistos como magicos que aprenderam a usar seus poderes de formas ritualisticas. A maioria da população acredita que a morte é o fim de tudo..."

    Eu somente segui essa interpretação como sendo a forma que o povo ve clerigos e outros servos dos deuses. Inri Cristi Acredita que é a reencarnação de jesus Cristo, pra maioria dos brasileiros ele é louco. A Maioria dos clerigos acredita que seguir os deuses lhes garante o poder. Pro povo de Salistick eles são loucos que levaram suas crendices a serio demais. Como os bardos agora podem lanças magias divinas ou seja podem lançar magias de cura, a tese de que magias clericias são apenas atitudes magicas ritualisticas fica reforçada para o povo de Salistick. Essa é a minha interpretação.

    ResponderExcluir
  5. Brauner, o comentário foi por causa do que eu falei no teu blog?

    Sobre eu e o Shamassu termos conversado sobre o assunto aqui no Masmorra dos Monstros foi nesse post aqui ó:http://montanhadosmonstros.blogspot.com/2010/10/iniciativa-trpg-liga-independente_11.html

    Eu sabia que tinho lido alguma coisa falando sobre magos em Salistick! Essa paragráfo não está em O Reinado D20... ou está?

    ResponderExcluir
  6. OK, vamos lá.

    Brauner, não discordo da sua interpretação. Pra mim é exatamente por verem os clérigos como loucos que a galera de Sallistick não confia neles.

    Sobre os talentos serem apelões... eles realmente trazem benefícios grandes, mas no fim conjurar a magia fingindo fazer outra coisa dá muito mais trabalho!

    Shamassu... eu forcei um pouco a barra mesmo... mas é só ignorar essa parte da magia funcionar normalmente no seu jogo.

    E di_benedetto... magos em Sallistick? O que tem eles? E masmorra dos monstros???

    ResponderExcluir
  7. MONTANHA DOS MONSTROS*

    #FAIL

    Eu JURO que eu sei o nome do blog. Só saiu errado na hora que digitei. o0'

    Gruingas no outro post eu tinha falado pro Shamassu que tinha lido sobre isso dos clérigos serem vistos como magos em salistick... (ou "usuários de magia arcana que a empregam de maneira ritualistica") e tinha falado que pra mim pelo menos isso não fazia muito sentido...

    ResponderExcluir
  8. O povo de Salistick não ignora o resultado da magia. Um curar ferimentos leves de 1d8+1 vai curar 2 pvs ainda em salistick. Ou seja vai estancar emorragias.
    A magia existe o resultado tbm. Deuses não existem. Vc faz magia como mago e acredita que é concedida por um deus. Legal. Vc é maluco. Magos malucos são pessoas perigosas.
    Clerigos são na verdade pessoas fanaticas. Fale mal dos deuses deles e eles vão te encher de porrada. (principalmente clerigos de keen)...
    Vc acredita no resultado não na fonte.

    ResponderExcluir
  9. Realmente Brauner com o lance do bardo fazer magia das duas listas (arcana e divina)no TRPG essa interpetação ficou mais viável...

    O que me encucava é como alguém podia acreditar que aquilo era magia arcana "ritualistica", se somente servos dos deuses podiam usar. Capisci?

    ResponderExcluir
  10. Medicina mágica [magia]
    A personagem pode conjurar magias de cura de forma oculta, enquanto finge realizar procedimentos médicos.
    Pré-requisitos: Cura 6 graduações, Magia Silenciosa, Magia sem Gestos, ser capaz de conjurar pelo menos uma magia de cura.
    Benefício: a personagem pode conjurar magias com o descritor cura sem usar os componentes verbal e gestual, e sem gastar PMs adicionais. Mas para isso deve fingir estar realizando um procedimento médico, utilizando inclusive equipamento médico (ou algo que pareça equipamento médico). Além disso, a personagem pode conjurar magias de cura normalmente em Sallistick (sem que estas tenham efeito mínimo).

    não seria melhor colocar 50% de efeito nesse talento. Assim fica mais nivelado com salistick.

    Ps. bardos no AD&D podiam lançar magias de curae tormenta é do tempo do ad&d

    ResponderExcluir
  11. OK. Mas quando Tormenta era do AD&D, Salistick não existia ainda no cenário...

    ResponderExcluir
  12. Ai que esta, exitia. A versão escrita pra 3d&t é multicenarios e eles falam dela pensando em gurps e AD&D tbm.
    Eles simplismente não podiam era usar esses sistemas la. Lembre-se que o cassaro , trevisan e MAW são jogadores de rpg da epoca do AD&D. A dragão brasdil começõu por esses sistemas.ELes tinham essa visão na epoca. E ainda tem pois nossas expereincias passadas moldam nossas experiencias futuras.
    E tipo por que vc acha que ele sderam capacidade de cura aos bardos no Tormenta rpg?
    Por que para eles bardos não terem capacidade de curar era totalmente sem noção.

    ResponderExcluir
  13. se não me engano bardos em 3d&t podem lançar magias de cura

    ResponderExcluir