quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Iniciativa TRPG: Raças, Modelos e Linhagens - Elfo Purpuri

Eu sinceramente AMO Ethora. Não só é um cenário excelente e cativante, que proporcionou a MELHOR campanha de RPG de minha vida(tão boa que podia virar mangá/anime de sucesso! Sério!), mas ainda me dá alguma coisa pra contribuir com a Iniciativa TRPG dessa semana. Então, com essa descrição retirada da Dragon Slayer 22, que eu começo minha adaptação dos Elfos Purpuri para TRPG.

Elfos Purpuri

"Purpuris são chamados assim devido à cor da pele ser levemente arroxeada, sendo que quanto mais clara a pele, quanto perto da cor púrpura, mais pura é a linhagem do sangue. Entretanto, existem variações azuladas, escuras e até mesmo avermelhadas. Os cabelos e os olhos têm, em geral, o mesmo tom da pele - e em raríssimas ocasiões, quando recessivos, são ambos negros. Eles são um pouco mais baixos que os humanos e alto-elfos, nunca excedendo 1,75m, e sem diferença significativa de altura entre os sexos. Muito esquios e esbeltos, os purpuris apresentam uma falsa impressão de fragilidade, mas na maior parte das vezes são fortes e resistentes."

Elfos purpuri são uma raça élfica sem civilização, vagando livremente pelo território dos humanos. Diferente dos elfos de Glórienn, os purpuri valorizam - no lugar da arte, dança, poesia e música - o silêncio, a meditação, a serenidade... e detestam festas e algazarras. "Amor" e "lealdade" são conceitos extremamente valorizados. Dizem que um purpuri, em sua longa vida, apaixona-se uma única vez e então vive em nome desse amor, sendo ele correspondido ou não. Essa tendência ao "amor platônico extremo" dificulta a ploriferação da raça, fazendo destes elfos uma coisa rara de se ver.

Supõe-se que antigamente os purpuri era um povo nômade e pacífico, até que algo aconteceu. Surgiu então uma inimizado com seus irmãos, os elfos de Glórienn, onde um se julgava uma "raça mais pura" que outro. Com a ajuda de Brazen, o senhor das trevas, os elfos de Glórienn lançaram sobre os purpuris uma maldição eterna: eles teriam de sacrificar o que possuíam de maior valor pela sobrevivência da raça. Sua sociedade é patriarcal, dividida em clãs, cujas famílias vivem em pequenos aglomerados até que as crianças cresçam. Não há govenantes entre os clãs, os mais velhos regem suas famílias. Os purpuri sempre tentaram manter sua linhagem pura, e até agora parecem ter sido bem sucedidos, pois não há relatos sobre meio-elfos purpuri.

Como todos os elfos, os purpuris valorizavam, acima de tudo, seus bons sentimentos. Quando um purpuri atinge a idade adulta(cerca de 100 anos) e pode se reproduzir, seu coração se transforma numa pedra preciosa. A gema deve ser logo removida para evitar a morte do elfo - viver com ela provoca uma angústia tão avassaladora que faz a vítima tentar tirar a própria vida.

Não podendo viver com o coração, os purpuris tratam de encontrar um local seguro para escondê-lo. Masmorras assombradas, covis de dragões, ninhos de harpias são locais mais comuns. A segurança do coração do purpuri é importante pois caso alguém tome posse da gema, terá direito de desafiar o purpuri. Vencendo, terá direito de tomar sua liberdade e fazê-lo seu escravo.

Quando alguém move a pedra do lugar, o purpuri sente seu coração pulsar(sensação que provavelmente não experimenta há muito tempo) e uma sensação estranha se apossa de seus sentidos. De alguma maneira, o purpuri sabe todas as informações possíveis da pessoa que está com a pedra: seu nome, quem o acompanha, seus equipamentos, local... Não é exatamente uma visão: O purpuri sente o que a pedra sente. O desespero toma conta de sua alma, pois se a pedra for destruida, ele morrerá.

A gema não é mágica. Poucos têm esse conhecimento sobre os purpuri (Conhecimento: Natureza CD 25) e para perceber a diferença entre uma pedra normal e o coração de um purpuri é necessário um sucesso num teste de Ofício: Joalheria com CD 30. Para destruir a gema, é necessário um sacrifício de um item mágico(com valor mínimo de 15000 TO) ou uma vida humanóide. Lançar Obscurecer Objeto na gema impede temporariamente o "contato mental" entre o purpuri e seu coração.

Cedo ou tarde, o purpuri vira em busca de ser coração. A abordagem varia de acordo com sua tendência, mas caso haja confronto, o purpuri lutará ferozmente até a morte. Vencendo, tomara a gema de volta. Caso perca, será vítima de um encantamento poderoso: enquanto o vencedor tiver seu coração, o elfo será um escravo perfeito, atendendo qualquer ordem, mesmo que isso cause sua morte. O purpuri está preso a esse pacto até que o último descendente de seu senhor permaneça vivo.

Numa tentativa de livrar-se da maldição, muitos purpuris se tornam devotos de Brazen, em busca de sua piedade. Mas Brazen é um deus rigoroso, exigindo provas de força de seus devoto, mandando seus enviados, normalmente elementais e extraplanares, para desafiar o elfo purpuri de tempos em tempos(pela primeira vez no 3º nível, e a cada 2 níveis seguintes). A Criatura será sempre do tipo Espírito com ND igual ao nível do devoto, e propõe um combate individual, em seus termos(normalmente buscando evitar uma condição ambiental desfavorável). O personagem não é obrigado a aceitar o desafio, pois caso perca, será obrigado a sacrificar um item de grande valor (1000TO por nível do elfo) ou na falta desse, a própria vida. Quando morre, o devoto tem o direito de desafiar o próprio deus Brazen, e se vencer, libertará toda a raça da maldição. (Mais detalhes no talento "Dádiva de Brazen" abaixo)

Devido a perseguição de outras raças élficas e sua maldição, os purpuris se tornaram extremamente raros. Os poucos que restam são sobreviventes astutos. Desde jovens, os elfos purpuri treinam a arte da luta e da fuga(a sobrevivência está muito acima da honra e glória). Suas armas preferidas são a espada longa, a adaga, e todo tipo de lança, exceto a lança montada.

Para informações mais detalhadas, veja a Dragon Slayer 22 ou os quadrinhos de Ethora(que podem ser adquiridos aqui.)

Origens: Normalmente os elfos purpuri são originais do Mundo de Ethora. Você pode usá-los como nativos de outros mundos, ou fazer algumas adaptações, sendo a mais importante esta: Brazen, o deus ao qual os elfos "comuns" pediram que amaldiçoasse os purpuri, é um deus menor élfico de domínios similares aos de Tenebra. Ou até mesmo é uma faceta de Tenebra.

  • +4 Destreza, +2 Constituição, -2 Sabedoria. Os purpuris são ágeis e ligeiros como os elfos normais mas, apesar da aparência, não possuem a mesma fragilidade física, sendo na verdade, mais resilientes, devido a vida perseguição que vivem. Apesar disso, tendem a ser impulsivos.
  • Tamanho Médio.
  • Deslocamento 9m.
  • Visão no Escuro: Purpuris podem enxergar no escuro a até 18 metros, apenas em preto e branco. Um Purpuri ignora camuflagem(incluindo camuflagem total) por escuridão.
  • +4 em testes contra encantamentos. Purpuris também são imunes à magia Sono e efeitos similares.
  • +4 em testes de Acrobacia e Percepção.
  • Purpuris sabem usar Espadas Longas, Adagas e todos os tipos de lanças(exceto de montaria). Além disso, recebem o talento Foco em Arma para uma dessas armas(à escolha do jogador) como um talento adicional.
  • Ligação natural: Todo purpuri adulto esconde seu coração em um local seguro. Caso alguém tome posse de seu coração, o Purpuri sabe inexplicavelmente coisas sobre o portador da gema. O portador da gema está permamente mente sobre um efeito equivalente as magias Vidência, Detectar Pensamentos e Visão da Verdade para o purpuri(ou até mais algumas coisas, você mestre julgue o purpuri sabe, só lembre que ele sabe MUITO).
  • Maldição de Brazen: Um purpuri que tenha perdido o desafio do portador de seu coração, se tornará um escravo do portador. O Purpuri ainda mantém sua personalidade e mente própria, mas irá obedecer seu mestre sem hesitar.

Novos Talentos:


Dádiva de Brazen[Racial]

Após vencer um desafio proposto pelo Senhor das Trevas, você recebe um poder mágico.

Pré-requisitos: elfo purpuri, 3º nível de personagem, ser devoto de Brazen(sendo clérigo, ou outra classe com a habilidade Divindade, ou adquirindo o talento Devoto). Além disso, deve ter vencido um desafio por um enviado de Brazen de ND igual ou maior que o seu.

Benefício: Você recebe uma habilidade similar a magia à sua escolha. Escolha uma magia arcana ou divina de nível igual a metade de seu nível(arrendondado pra cima) ou menor. Você pode usar esta magia (como um conjurador do mesmo nível do seu personagem) um número de vezes por dia igual a 1 + Mod. de Int, Sab ou Car(o que for maior), no mínimo 1 vez por dia.

Escravo[Racial]

A vida como servo tornou você mais disposto a fazer amizades, mas drenou sua determinação.

Pré-requisitos: Elfo purpuri, Elfo ou meio-elfo. Além disso, deve ser escravo ou, no caso dos purpuris, deve ter seu coração na posse de outro.

Benefício: você recebe um bônus de +4 em todas as perícias baseadas em Carisma, mas recebe um redutor de -2 em testes de Vontade.

A imagem dos Purpuri é de autoria e propriedade da sempre impressionante Érica Horita.

5 comentários:

  1. Post Duplo denovo! XD O outro é o Teurgista Místico para TRPG

    ResponderExcluir
  2. E ai Quaresma, aqui é o Slay, tu adaptou meus elfos favoritos! Muito Bom!

    Só uma coisa acredito que tenha usado a descrição dos Nezumi, e acabou não apagando e ficou os dois =/

    Vou fazer o Purpuri Exemplar para uma proxima coluna o/

    ResponderExcluir
  3. É Slay, eu tinha copiado a descrição dos nezumi pra pegar o formato, pra ficar no padrão sabe. Eu jurava que tinha deletado ¬¬
    Malditos Ctrl+Z e Ctrl+Shift+Z >_>

    ResponderExcluir
  4. Que feio esse ctrl+c ctrl+v hein! Copiar sim, mas ser pego jamais!

    Mas um belo artigo Quaresma! E uma ótima escolha de tema, sempre gostei dos purpuri!

    ResponderExcluir
  5. Slay de novo o/
    Sei como é Quaresma, deixar no padrão e tals. Quando crio/adapto raça pego do Tormenta SRD /o/

    Bem Parabéns pelo artigo, Erica Horita Owna, sinto falta de desenhos dela atualmente =/

    ResponderExcluir