quinta-feira, 16 de setembro de 2010

NPC: O Cavaleiro Risonho

A visão do Cavaleiro Risonho é, no mínimo, inusitada. Coberto de alto a baixo com uma armadura reluzente de prateado puro. O elmo, que lhe concedeu a alcunha, era uma coisa inquietante e notável, moldada na forma de uma enorme cabeça com rosto sorridente.
Seus feitos são ainda mais imprevisíveis. Vidas foram perdidas, sonhos foram destruídos e jovens nobres tiveram sua vida desgraçada pelas mãos do Cavaleiro Risonho, que chegava encantando a todos e sumia deixando um rastro de tristeza e desesperança como um furacão. Mas haviam aqueles que juravam que sem o Cavaleiro Risonho estaria vivendo na miséria, uma jovem barda viaja cantando versos heróicos de como o Cavaleiro Risonho a ajudou na realização do seu sonho de deixar a vida de marquesa para ser o que agora era, uma barda.

CUIDADO!! Spoilers da Trilogia Tormenta a partir daqui!! Se você ainda não leu O Crânio e o Corvo nem O Terceiro Deus pode ser melhor ir para outra postagem!

Suas motivações pareciam ter tanta coerência quanto seus feitos. Mas o que é certo é que ele está por Arton há bastante tempo. Alguns dizem até que ele seria pai de Orion Drake, o cavaleiro da luz responsável pela primeira vitória de Arton sobre a Tormenta, a libertação da ilha Tamu-ra da tempestade rubra. Mas até hoje o Cavaleiro Risonho se faz presente, parecendo mais jovem que nunca, contrariando a hipótese de ser pai do cavaleiro da luz, que já se encontra em idade avançada.
O que poucos sabem, é que o Cavaleiro Risonho nem sempre foi a mesma pessoa.
Darien foi chefe bandoleiro. Foi capturado por um cavaleiro e feito prisioneiro, para em seguida ser feito escudeiro por sir Orion Drake, que acabou sendo como um pai para Darien.
Darien foi feito Cavaleiro do Corvo junto a outros cavaleiros da luz, abandonando grilhões em vez de estandartes como fizeram os outros. Quando lutava junto a Orion para impedir o assassinato da Deusa dos Elfos, acabou se separando dele, o que o lançou a uma busca longa para se encontrar com seu mentor.
E durante essa busca, em Roschfallen, conheceu um anão clérigo de Khalmyr que o ensinava a trapacear e executar golpes. Não fazia sentido, mas ele prometera ajudá-lo em sua busca. Ao fim, o anão o enviara numa missão para reaver a armadura do Cavaleiro Risonho, para que o legado do pai de Orion Drake nunca fosse passado adiante. Em algum lugar em Portsmouth encontrou o cadáver do Cavaleiro Risonho. Guardou a armadura de maneira impecável, como aprendera no treinamento de cavaleiro do corvo, guardou a armadura em um saco e então retornou para Roschfallen. Chegando lá, se sentiu um belo de um idiota. Com a armadura nas costas, não encontrara o anão em lugar algum. Fora vítima de um belo golpe. Não sabia porque, mas decidiu carregar aquela armadura.
Ao encontrar seu mentor, descobrira que ele iniciara uma campanha contra a Tormenta, e estava recrutando nada menos que deuses para seu exército. Uniu-se a seu mentor e partiu para enfretar a Tormenta. No momento decisivo, ele e seus iguais, os cavaleiros do corvo, foram responsáveis apenas por reconhecer o terreno inimigo, os deuses lutariam. Mas Darien, Ferrão, como era conhecido entre os cavaleiros do corvo, ainda se agarrando a sua personalidade, que deveria ter sido destruída no treinamento, decidiu sair da embacação que estavam e seguir para ilha. Sorte foi apenas o que lhe permitiu ser ignorado por todos.
Com a batalha acabada, e a tormenta vencida. Caminhava só, debaixo do céu azul sem nuvens e acima dos cadáveres, de deuses e dragões. Em sentido contrário, caminhando devagar, estava Bandido, a antiga montaria de Orion Drake, do cavaleiro Risonho e cria de Nimb, deus do caos. Arrastava os cascos por causa dos cortes no lombo, mas viveria.
Darien não enchergava mais nada, só ele e um cavalo, filho do Caos. Então começou a rir.
Tudo fazia sentido. Um clérigo de Khalmyr que roubava e enganava. Um líder bandoleiro tornado escudeiro, tornado golpista, tornado assassino. Um cavaleiro servo do caos, dedicado a atormentar o próprio filho. Entregando o neto para um Lorde da Tormenta. Um resgate que dera à luz aqueles cadáveres.
O Caos que provocara vingança. A vingança que vencera a tempestade.
Darien ria.
Levava, ainda, o saco às costas. Talvez porque fosse um idiota. Ou talvez porque tudo sempre houvesse feito sentido. Botou-o no chão, abriu-o e tirou todas as peças da armadura espelhada. Despiu a sua própria. Trocou pela nova, e achou-se muito elegante.
Cobriu a cabeça com o elmo na forma de um riso humano grotesco, congelado em frenesi para sempre.
Montou em Bandido.
Confiou na sorte para tirá-lo da ilha.

Viva! Era o Caos.

Darien, O Cavaleiro Risonho
Humano Ladino 4/Guerreiro 4/Cavaleiro do Corvo 5; tendência CN; 121 PV; deslocamento 9m; CA 34 (+11 armadura, +3 destreza, +5 escudo, +6 nível), desprevenido 34; Ataques: Espada longa de mitral do sangramento +1 +18 (dano 1d8 + 13 mais 1 de dano na Constituição, crit. 18-20), Mosquete +16 (dano 2d18 +6, crit. 19-20)(+21 e 2d8+11 no primeiro tiro); QE e HE: Ataque Furtivo +2d6, Encontrar Armadilhas, Evasão, Golpe Incapacitante, Sentir Armadilhas +1, Esquiva Sobrenatural, Jargão do Corvo, Redução de Dano 2, Foco em Armadura Maior, Olho do Corvo Maior, Alma do Corvo; Fort. +12, Refl. +13, Vont. +10; For 18, Des 16, Con 18, Int 14, Sab 10, Car 14.

Perícias e Talentos: Acrobacia +19, Atletismo +25, Adestrar Animais +18, Cavalgar +19, Diplomacia +18, Enganação +18, Furtividade +19, Iniciativa +19, Intuição +16, Ladinagem +19, Obter Informação +18, Percepção +16.
Combate Montado, Escudo Veloz, Especialização em Arma(Espada Longa), Especialização em Combate, Fintar Aprimorado, Foco em Arma(Espada Longa), Foco em Armadura(Pesada), Formação Tartaruga, Pisotear, Reflexos Rápidos, Tolerância, Usar Arma Exótica(Mosquete), Usar Armaduras(Leves, Médias e Pesadas), Usar Armas(Simples e Marciais), Vontade de Ferro.

Equipamento: Armadura Completa de mitral da Fortificação Leve +1, Escudo Grande +2, Espada Longa de mitral do sangramento +1, Botas de Caminhar e Saltar.

Bandido
Monstro (Grande – Comprido) 15; ND 13; tendência CN; 150 PV; deslocamento 27m; CA 25 (+1 natural, +3 destreza, +4 constituição, +1 esquiva, +7 nível, -1 tamanho), desprevenido 21; Ataques: Patada/Coice +22 (dano 1d8+14) ou mordida +22 (dano 1d8+14) ou Patada/Coice e Mordida +20/+20 (1d8+14/1d8+14); HE Atropelar; QE: Visão no Escuro; Fort. +13, Refl. +12, Vont. +7; For 24, Des 16, Con 18, Int 14, Sab 11, Car 8.

Perícias e Talentos: Atletismo + 25, Furtividade +17, Iniciativa +21, Percepção +18.
Ataques Múltiplos, Casca Grossa, Esquiva, Mobilidade, Reflexos de Combate, Ataque poderoso, Duro de Matar, Tolerância, Reflexos Rápidos, Fortitude Maior.

Atropelar: Usando uma ação completa, Bandido pode percorrer até odobro do seu deslocamento, atropelando qualquer personagem de tamanho médio ou menor. Um personagem atropelado sofre 1d8+14 de dano, com direito a um teste de Refl exos (CD 24) para reduzir o dano à metade.

Equipamento:
Ferraduras da Velocidade

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ufa! Antes tarde do que nunca! Tá aí, o Cavaleiro Risonho como prometido. O Histórico dele tá meio capenga, mas tá valendo. E sim, eu copiei descaradamente boas partes da Trilogia. Se tiver qualquer erro de cálculo na ficha, avisa aê, que eu só fiz a ficha em modo rascunho, só planejando coisas básicas como talentos, habilidades e equipamento.
Cyaz!

8 comentários:

  1. muito legal
    tipo eu adicionei o seu blog na minha lista de favoritos. poderia dar uma olhada no meu e se gosteres adicionar aos favoritos do seu??
    http://knightofhammer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Ae, muito legal!

    Quaresma, "formação tartaruga"? É do Guerras Táuricas esse talento?

    E Fernando, já adicionei seu blog na lista de links aqui do montanha!

    ResponderExcluir
  3. A ficha ficou legal, mas gostaria de dar uma opinião: coloque um aviso de spoiler e tire o "Darien" do começo do nome, pode estragar boa parte do livro para muitos desavisados. Digo isso porque me estragaram o final dO Crânio e o Corvo com uma dessas fichas, pois colocaram a identidade do Crânio antes do nome, e eu estava no finalzinho do livro, fiquei muito chateado.
    Bom, fica ai minha idéia, no mais, ótimo blog, acompanho desde o começo, boa sorte o/

    ResponderExcluir
  4. Bem observado Eduardo, coloquei um aviso de spoiler no artigo.

    ResponderExcluir
  5. Ficou interessante. Só acho que bandido deva ser considerado um "animal", e não um "monstro", mesmo que aparente (ou realmente seja)mais inteligente que o permitido para um animal.

    ResponderExcluir
  6. Oh fuck! a primeira coisa que eu pensei quando tive a idéia de fazer o cavaleiro risonho foi dar o aviso de spoiler... e acabei esquecendo x_X Malz ae.
    E o fato do bandido ser um monstro, eu tirei pelo Manual de Criação de Monstros, lá na descrição de Animais, ele diz "Um animal inteligente, ou com poderes mágicos, é considerado um Monstro" aí eu fiz o bandido com níveis de monstro. Até unicórnios seriam feitos com níveis de monstro, por mais gentis que eles sejam =p

    E fuck fuck fuck fuck *bate cabeça na parede*
    Malz ae, denovo >_<

    ResponderExcluir
  7. E Gruingas, o talento Formação Tartaruga é do Guerras Táuricas sim, assim como Escudo Veloz, mas acho que o último saiu na DS na matéria do Abelardus. Se tu naõ tiver o GT ainda, posso te dizer o que ele faz.

    E foi mal denovo ._.

    ResponderExcluir
  8. Meu personagem favorito. Com toda certeza, em todo o livro. Não apenas O Darien,mas toda a simbologia envolvendo o Cavaleiro Risonho.

    ResponderExcluir