segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Samurais que não são samurais, parte III: mudança de planos, elfo yojimbo

Um dos muitos papéis que um samurai podia desempenhar era o de yojimbo, ou guarda-costas. Esse papel era sempre visto como grande honraria, já que o yojimbo acompanhava seu senhor continuamente, zelando por sua segurança. Obviamente, o arquétipo do guarda costas dedicado e honrado aplica-se a outras culturas que não a japonesa.

Os yojimbos mais famosos que eu conheço... ou não.

Olha, eu tentei. No artigo "Samurais que não são samurais" eu prometi dois NPCs: Theodozius, o minotauro e Dhobzarinn, o anão. Mas, enquanto eu desenhava o anão, para ajudar a montar o personagem, eu deixei de enxergar um samurai ali. O anão escolheu ser um paladino e eu não pude fazer nada.

Tentei criar uma irmã com ar de samurai para ele, mas ela também fugiu do conceito. O conceito do minotauro executor encaixou muito bem na classe samurai, mas eu não consegui nada semelhante com um anão, então comecei a tentar pensar em outra idéia.

Como o Theodozius era o "minotauro do iaijutsu", eu estava querendo fazer o novo NPC seguindo o estilo de lutar com duas armas. E nessa de um personagem rápido com duas lâminas, eu achei que um elfo se encaixava, um "elfo do niten". Daí nasceu...

Tinuviel, elfo guarda-costas

Tá só no lápis mas tá aí
Tinuviel era um guerreiro de elite em Lenórienn, e após centenas de batalhas na infinita guerra, recebeu a honra de proteger o filho de seu senhor, o duque de Guiuien. O duque era muito belicoso e valente, mas seu filho sempre teve a saúde frágil (mesmo para os padrões élficos) e acabou interessando-se pela magia, e não pela espada.

Quando o garoto quis viajar para aprender as artes místicas, seu pai enviou junto seu mais leal e mortal guerreiro como guarda-costas. Tinuviel não se ressentiu, já estava cansado de tantas lutas, de tanto sangue, decidiu acreditar que talvez a magia pudesse trazer uma solução melhor que o aço e jurou acompanhar o garoto.

Mas a luta acabou decidida pelo aço, e não foram os elfos que venceram.

Quando acabou a infinita guerra, o conflito milenar entre elfos e goblinóides, Tinuviel e seu protegido, Heianiel, estavam próximos à costa do continente, em busca de mestres de magia. Conseguiram fugir para o continente norte, onde até hoje o garoto pesquisa magia na esperança de descobrir uma forma de unir seu povo e salvar sua terra, sempre protegido por seu yojimbo.

Descrição física
Tinuviel é um elfo alto, de longos cabelos negros e olhos também negros como a noite. Ele usa uma couraça de mitral com adornos dourados, incluindo o desenho de uma árvore no meio do peito e por baixo da couraça usa um casaco comprido e escuro.

Personalidade
Amargurado e taciturno, seguindo o padrão dos elfos exilados. Tinuviel mantém toda sua disciplina de guerreiro, reforçada por uma frieza mortal. Só demonstra algum sentimento quando conversa com Heianiel, com quem é protetor e amigável.

Tinuviel, guarda-costas de Heianiel
Elfo samurai 8, ND8, Leal e neutro.
Deslocamento 9m, 63 PVs
CA 25 (+5 Des, +5 couraça, +4 nível, +1 esquiva)
Ataque
   Sabre +15 (ou dois sabres +13/+13) 1d6+6 (15-20/x2) +1d6 por frio
Fort +7 Reflx +9 Von +8
For 14, Des 20, Con 12, Int 12, Sab 14, Car 15
Habilidades de raça: visão na penumbra, +4 nos testes de vontade contra encantamentos, imune a efeitos de sono.
Habilidades de classe: estilo de combate aprimorado (luta com duas armas), olhar assustador (um inimigo), grito de kiai (+2) 3/dia. Espadas ancestrais: nesse momento suas armas são dois sabres +1 congelantes.
Talentos: Acuidade com arma, foco em arma (sabre), acerto crítico aprimorado (sabre), esquiva, mobilidade e combater com duas armas de mão (talento apresentado aqui).
Perícias: Iniciativa +16, Acrobacia +16, Intimidação +13, Intuição +13, Percepção +17
Equipamento: além das armas o único equipamento digno de nota é sua exuberante couraça de mitral.


Táticas em combate: nunca ficar parado!


Ganchos de aventuras
Heianiel e Tinuviel podem contratar o grupo de aventureiros para ir atrás de algum conhecimento antigo e perdido, dependendo da importância o garoto pode ir junto. Caso haja um mago no grupo, Heianiel vai querer manter segredo sobre seus objetivos.

Heianiel é seqüestrado! Tinuviel pode tanto contratar os heróis quanto desconfiar deles (aqui você tem que criar um motivo plausível para a desconfiança).

Além disso, você pode usar o elfo como guarda costas de qualquer outro NPC, nesse caso Heianiel pode nunca ter existido ou morrido na fuga de Lenórien.

PQP - possíveis questões pertinentes
Sabre? Não tem essa arma no meu livro básico!
Segue as mesmas regras da cimitarra. É só que eu não consigo chamar essas espadas élficas (veja no desenho) de cimitarra. Acho que tem cara de sabre.


Segundo o TRPG, um samurai que escolha outra arma, no lugar do kit Katana + Wakisashi, só pode escolher UMA arma como arma ancestral. Mas o Tinuviel tem esses dois sabres. E aí?
OK, eu confesso, eu usei minha licença poética para quebrar essa regra na cara dura.


Você não vai fazer a arte final desse desenho não? Ele tá todo poluído.
Não, dá o maior trabalho. Vai ficar poluído mesmo.

6 comentários:

  1. Pô, tu tá trabalhando ein? XD Bom o conceito do elfo, e acabou me dando mais uma idéia: Converter as CdP que saíram na DS(Nerfando principalmente o Samurai Executor, por que PossíveisQuestõesPertinentes, que CdP roubada >.<). E também essa tua idéia de apresentar Conceitos Inusitados encaixa perfeitamente no meu personagem estreante de TRPG: Gideon Whitecollar, o doutor de Sallistick Clérigo de Nimb(?!). Fazendo todo mundo pensar "COMEQUIÉ!? Como pode isso?!" mas entendendo após saber todo o Background do personagem.
    Cyaz
    Ps.: Tu sabe que o sabre é o Florete do TRPG né? E que o "Sabre de corte" é a Cimitarra? Aliás, já otimizando o Tinuviel(é, jogar mesas de D&D Survival me fizeram ter "otimizar fichas" como habilidade natural e sempre ativa =p), tu podia deixar ele usando o Florete de perfuração mesmo, e aproveitar que elfo pode ganhar Foco em Arma como talento extra, e usar o talento que vc acabou de economizar pra pegar Ataque em Movimento, fechando perfeitamente a estratégia "Nunca ficar parado!" dele. =D

    ResponderExcluir
  2. Fala Quaresma,
    então cara, bobeei com o sabre. Mas editei pra ficar mais fácil de entender. É que na minha cabeça florete, sabre e cimitarra são coisas diferentes. E arma de elfo é sabre!
    E florete só perfura!

    Então, eu não vou seguir sua sugestão porque não imagino o personagem perfurando pessoas, mas sim cortando. Mas é uma ótima sugestão pra quem quiser usar como NPC.

    ResponderExcluir
  3. Kara li seus tópicos, e no começo até concordei com vc, mas depois...

    Não me entenda mal, mas acho forçado samurais em outros povos. Principalmente no cenário Tormenta.

    Entendo quando fala que outras raças poderiam e tinham valores de honra e lealdade iguais as dos samurais, mas as condições pra criação dessa classe (Não a classe de TRpg, a classe na vida real) foram bem particulares no Japão, ainda mais em Tormenta, já que a cultura foi influenciada por Lin-Wu no povo que ele escolheu.

    Acho não seria necessário nem outra classe, afinal samurais são principalmente guerreiros, ou não, como se ve em Legend Of Five Rings, samurais desempenhavam variadas funções... Eu não me adimaria de ver um samurai bardo, e eu não to falando de multiclasse, samurai a casta. Na minha opinião a classe só é necessária pra dar aquele "que" aos guerreiros com influencia da cultura japonesa que convenhamos, são bastante exóticos.

    Acho desnecessário colocar outras raças no conceito samurai, acho até meio forçado... Acho que uma boa customização na escolha de talentos para um guerreiro, ou quem sabe a criação de uma classe de prestigio seria mais conveniente.

    Abraços e parabéns pelo Blog.

    Pablo Dias.
    @pablokendo

    ResponderExcluir
  4. Só reforçando

    Acho que samurais Tamuranianos deveriam ser classes basicas, vc nasce samurai, já de outras raças, acho que uma boa customização na escolha de talentos para um guerreiro, ou quem sabe a criação de uma classe de prestigio seria mais conveniente, pq acredito que o samurai como conhecemos, e como é mostrado em TRPG é uma coisa exclusiva e exótica, sendo impossível, ao meu ver, não tamuranianos nascerem samurais.

    ResponderExcluir
  5. Oi Pablo,

    entendo sua discordância. Na verdade, em parte eu concordo com você. Realmente, nenhum dos meus NPCs PRECISAVA da classe samurai. O Theodozius podia ser guerreiro e o Tinuviel talvez Swashbuckler. Eu estou mesmo forçando a barra, pra ver no que dá.

    Eu gostei do resultado, você não. Acontece.

    Mas discordo quando você diz que apenas Tamuranianos podem ser samurais. Samurais são característicos da cultura Tamuraniana, mas, principalmente num mundo de fantasia, não vejo porque personagens de outros povos não podem aprender a "arte samurai".

    Eu gosto de ver as regras e elementos de cenário de um RPG como opções, não restrições.

    Mas isso é ponto de vista. Espero que o restante do blog continue agradando.
    Até mais.

    Mas usar a classe

    ResponderExcluir
  6. Opa,
    Agora vi sua intenção e até achei mais legal.
    Mas eu não acho q só Tamuranianos podem ser samurais, pelo contrario, com uma boa historia qualquer coisa pode ser um samurai, ainda mais em Tormenta, aonde os samurais são um pouco mais tolerantes e podem ensinar a arte a outros não-Tamuranianos. So acho q é impossível, em Tormenta, uma evolução paralela de outra raça, acabar igual ou muito parecido com os samurais.

    Kara, ganhou mais um fã pro seu blog! ^^

    Abraços.

    ResponderExcluir